Círculo das Quintas e

Armadura de Clave

Vamos conhecer a forma pela qual se relacionam a Armadura de Clave e a Escala Maior.

A armadura de Clave é a forma de passar ao executante a Escala ou (tonalidade) em que a partitura escrita; em que os acidentes são colocados na Armadura de Clave que podemos identificar uma escala, e que cada escala possui uma quantidade de acidentes.

Como observarmos, cada uma das escalas maiores possui uma quantidade de SUSTENIDOS ou BEMÓIS. Ao observar cada escala podemos verificar que seguem uma seqüência gradual de alteração. Na escala de DÓ MAIOR, não há acidentes, mas a escala de SOL MAIOR com um SUSTENIDO (a nota FA), a escala de RÉ MAIOR com dois SUSTENIDOS (notas FÁ e DO) e assim sucessivamente.

A escala de FA MAIOR apresenta apenas um BEMOL (a nota SI), depois de SI BEMOL

MAIOR apresenta dois BEMOIS (notas SI e MI) e assim sucessivamente.

É importante e necessário conhecer com precisão quais os sinais de alteração que

compõem cada maior, para que assim identificarmos a sua armadura de clave e por

conseguinte a tonalidade da música a ser executada. Pensando nisso foi elaborado o

 

CÍRCULO das QUINTAS e o CIRCULO das QUARTAS,

 

Que mostra quantos sinais de alteração existem em cada escala maior. Vejamos como

funciona primeiramente círculo das QUINTAS.

Contando, a partir da nota DÓ (natural), cinco graus, encontraremos a escala que

apresentará mais um sustenido na armadura de Clave, a escala de SOL MAIOR (com a nota

FÁ#). Contando-se cinco graus a partir da nota SOL, encontraremos a escala que apresentará

dois sustenidos, a escala de RÉ MAIOR, a FA# e o DÓ#. Contando-se cinco graus a partir da

nota RÉ, encontraremos a escala que apresentará a escala de LÁ MAIOR, com o FÃ#, o

DÓ# e o SOL#, e assim sucessivamente. O CÍRCULO das QUINTAS sempre será

utilizado no sentido horário, aparecendo apenas alterações ascendentes de

(SUSTENIDOS).