Ao chegar á América, por volta do século XVI, o explorador encontrou uma música baseada quase totalmente em ritmo vivo. Percorrendo a terra descoberta, observou que bastões de ritmo e chocalhos (maracás) eram usados por quase todas as tribos.

Os povos andinos (dos Andes cordilheira que domina a parte ocidental da América do Sul) pareciam preferir a melodia, pois possuíam muitos instrumentos de sopro, como a quena (flauta), o erquencho, de chifre de veado com palheta, o erque, cometa de 3 a 6 metros, e a antara (flauta).

Os Incas (povos do Peru, Equador e Bolívia) usavam o rurutinga, grande tambor escavado em tronco e recoberto de pele do inimigo mais importante.

Os quíchuas, índios peruanos, fabricavam bumbos com caixa de ressonância de barro cozido e recobertos de pele de animais e também caixas pequenas tinias feitas de madeira.

Violino e arco de violino chaqueano (natural de uma região da Argentina, Bolívia e Paraguai).

Os araucanos (indígenas do Chile) usavam a trutuca, cometa semelhante ao erque de 2 a 3 metros,e arco musical.

Do México podemos citar o teponaztlé tambor de suas antigas civilizações e tíaptisali flauta de barro cozido.

No nordeste argentino encontramos a harpa crioula derivada do modelo europeu, sem pedal, e o charango ou guitarra crioula, mestiça à imitação da espanhola.

No Equador, Peru, Bolívia, América Central e México encontramos na música grande influência indígena. Em Cuba e no Haiti o negro influiu na música com seu rico folclore.

No Brasil, principalmente onde a influência negra foi grande, a variedade de tambores ou instrumentos de percussão foi enorme. O zabumba e o candogueiro ficaram restritos a certas regiões, porém o tamborim, o pandeiro e diversas caixas se espalharam por todo o pais.

Nos Estados Unidos a contribuição negra revela-se pelo empregogo insistente de instrumentos de percussão (bateria variada a que também

acrescentam o piano como percussão).

Da mesma maneira que no Brasil, a música das Américas recebeu a influência do índio, do negro e do europeu, e deste amálgama está surgindo aos poucos a música característica de cada pais americano.