Amor

Introdução: C Bb

C Bb C

Leve como leve pluma Muito leve, leve pousa

Bb C Bb C Bb

Muito leve, leve pousa

C Bb C Bb

Na simples e suave coisa, Suave coisa nenhuma

C Bb C Bb

Suave coisa nenhuma

C Bb C Bb

Sombra silêncio ou espuma, Nuvem azul que arrefece

C Bb C Bb

Na simples e suave coisa, Suave coisa nenhuma

Bb

Que em mim amadurece

Balada do Louco

 

Eb C G/B G Eb C G/B G

Dizem que sou louco por pensar assim

Eb C G/B G Eb C G/B G

Se eu sou muito louco por eu ser feliz

Em Em/D C#m7(5b) C G C/D G

Mas louco é quem me diz E não é feliz, não é feliz

Eb C G/B G Eb C G/B G

Se eles são bonitos, sou Alain Delon

Eb C G/B G Eb C G/B G

Se eles são famosos, sou Napoleão

Em Em/D C#m7(5b) C G C/D G

Mas louco é quem me diz E não é feliz, não é feliz

G7 C G7 C

Eu juro que é melhor Não ser o normal

G7 A7 D7 C G/B Am G

Se eu posso pensar que Deus sou eu

Eb C G/B G Eb C G/B G

Se eles têm três carros, eu posso voar

Eb C G/B G Eb C G/B G

Se eles rezam muito, eu já estou no ar

Em Em/D C#m7(5b) C G C/D G

Mas louco é quem me diz E não é feliz, não é feliz

[Repete]

 

Eb C G/B G Eb C G/B G

Sim sou muito louco, não vou me curar

Eb C G/B G Eb C G/B G

Já não sou o único que encontrou a paz

Em Em/D C#m7(5b) C

Mas louco é quem me diz

 

A Galinha D'Angola

Introdução: C Dm G7 C G7 C G7 C

C A7 Dm A7

Coitada, coitadinha Da galinha d'angola

Dm G7 C G7 (C)

Não anda ultimamente Regulando da bola

A7 Dm

Ela vende confusão E compra briga

G7 C

Gosta muito de fofoca E adora intriga

Bb A7 Dm

Fala tanto Que parece que engoliu uma matraca

D7 Ab7 G7

E vive reclamando Que está fraca

Dm G7 Bb

Tou fraca, Tou fraca, Tou fraca, Tou fraca, Tou fraca,

C A7 Dm A7

Coitada, coitadinha Da galinha d'angola

Dm G7 C G7

Não anda ultimamente Regulando da bola

A7 Dm

Come tanto Até ter dor-de-barriga

G7 C

Ela é uma bagunceira De uma figa

Bb A7 Dm

Quando choca, cocoroca, Come milho e come caca

D7 Ab7 G7

E vive reclamando Que está fraca

 

 

América do Sul

Introdução: D7sus4

D A7

Deus salve a América do Sul

D A7

Desperta, ó claro e amado sol

D

Deixa correr qualquer rio

E

Que alegre esse sertão

B

Essa terra morena, esse calor

F#

Esse campo, essa força tropical

D A7

Desperta América do Sul,

D A7

Deus salve essa América Central

D E

Deixa viver esses campos molhados de suor

B

Esse orgulho latino em cada olhar,

F#

esse canto e essa aurora tropical

 

Barco Negro

Introdução: E A

A E A

De manhã que medo que me achasses feia, acordei tremendo

A7 D A

Deitada na areia Mas logo os teus olhos

A7 D E A E A (A)

Disseram que não E o sol penetrou No meu coração

A

Vi depois numa rocha, uma cruz e o teu barco negro

A7 D A

Dançava na luz, Vi teu braço acenando

A7 D

Entre as velas já soltas, dizem as velhas das praia

E A Am

Que não voltas, São loucas, São loucas,

E A

Eu sei meu amor Que nem chegaste a partir

E A

Pois tudo ao meu redor Me diz que estás sempre comigo no vento que lança

E A A7 D

A areia no vidro, na água que canta No fogo mortiço

A A7 D E A

No calor do leito, No vento vazio Dentro do meu peito

E A D Dm A A7 E

Estás sempre comigo, Eu sei meu amor

A E

Que nem chegaste a partir Pois tudo ao meu redor

A A D A D

Me diz que estás sempre comigo

 

 

Calúnias (Telma eu não sou Gay)

A7M Bm D

Diz que vai dar, meu bem Seu coração pra mim

E D E

Eu deixei aquela vida de lado E não sou mais um transviado

A Db7 Gbm A F

Telma, eu não sou gay O que falam de mim são calúnias,

E

meu bem Eu parei

A7M Bm D

Não me maltrate assim, Não posso mais sofrer

E D E

Vamos ser um casal moderno Você de bobs e eu de terno

[Repete]

A7M Bm D E

Eu sou introvertido, Até no futebol, Isso tudo não faz sentido

D E

E não meu esse baby-doll

[Repete]

[Telma, ô Telminha, não faz assim comigo...

Não me puna por essas manchas do passado, Já passou...

Esses rapazes são apenas meus amigos, Agora sou somente seu, Meu amor]

 

 

Deixa a Menina

 

Introdução: G/F D/E C/D C7M G/F D/E C/D C7M Ab/Bb G/A Ab/Bb G/A C/D

G7M F# Em7 Eb/F

Não é por estar na sua presença Meu prezado rapaz

Em7 A7 Am7 D7

Mas você vai mal Mas vai mal demais

Dm7 G7(13)

São dez horas E o samba tá quente

C7M F7(9) Bm7 E7(9b) Am7 D7

Deixa a morena contente, Deixa a menina sambar em paz

G7M F# Em7 Eb/F

Eu não queria jogar confete, Mas tenho que dizer

Em7 A7 Am7 D7

Cê tá de lascar, Cê tá de doer

Dm7 G7(13) C7M F7(9)

E se vai continuar enrustido Com essa cara de marido

Bm7 E7(9b) Am7 D7

A moça é capaz de se aborrecer

Gm D7 Gm

Por trás de um homem triste Há sempre uma mulher feliz

Em F#7 B7

E atrás dessa mulher, Mil homens sempre tão gentis

Em F#7 Bm7(5b) E7

Por isso para o seu bem Ou tira ela cabeça

Am7 D7 G/F G7M F#

Ou mereça a moça que você tem Não sei se é pra ficar exultante

Em7 Eb/F Em7 A7 Am7 D7 Dm7

Meu querido rapaz Mas aqui ninguém, ô agüenta mais São três horas

G7(13) C7M F7(9)

E o samba tá quente Deixe a morena contente

Bm7 E7(9b) Am7 D7

Deixe a menina sambar em paz

 

 

Espinha de Bacalhau

 

Introdução: C6/9

C6/9 C C/E

Eu também sei desconsolar num tom difícil de tocar

Em7(5b) A7 Dm7

É meu talento além do som daquela onda eu fui dançar

F7M

Dancei tão bem adocicando o teu batom como um bombom

G7 C6/9

Te lambuzei com a minha frase mais redonda

B7 C6/9

Atriz atroz da insensatez, fui traduzindo em português

A7 F7M

O amor que fez tua falsidade mais profunda

Ab7M C6/9

E corro atrás da vida fácil em que você quer me levar

C# Dm7 G7 C6/9

Quero morar num bangalô, chorar na mesa nunca mais

C C/E

Saxofone ou Satanás me intoxica com teu gás

Em7(5b) A7

O lado bom do coração que nos separa dos metais

F7M

Se a vida é cara, gigolô, só meu amor conhece a cor

G7 C6/9

Das harmonias da Orquestra Tabajara

B7 C6/9

Sei que é difícil respirar quando a paixão quer sufocar

A7 F7M

Meu coração, por isso eu canto na garganta, ah meu amor

Ab7M C6/9

O nosso veneno é no caroço da canção

C# Dm7 G7 C6/9

É como um vício e tem sabor que a fala presa não desfaz

Am7 Dm7 E7(9b) Bb6 A7 Dm7 Am7 B7 E7(9b) Am7 G7

[SOLO]

F6

Não sei quem pintou tua cor, tua tez, teu sabor

C7 F7M

Com a mocidade onde eu pecava, minha emoção já não dava essa voz

Cm7

Talvez sonhando dancei nu ao lado do abajur,

D7(9b)

e devo ter te beijado com paixão

G# F7M D7(9)

Foi quando um popular me despertou , me deu notícias

Gm7 C7 F7M

Que esse amor de gafieira não tem mais

F7M E7 F7M

Apresentei o meu sorriso e alguém de lá me perguntou

Eb7 D7(9) Gm7

Onde é que eu estou que não agarro essa morena pra dançar

Bb7M

E eu lhe falei não é preciso padecer na solidão

C7 F7M

Meu coração, a solidão não vale a pena

E7 F7M

Sei que é difícil respirar quando a paixão quer sufocar

D7(9) Bb7M

Meu coração, por isso eu canso na garganta, ah meu amor

Db7M F7M

O nosso veneno é no caroço da canção

F# Gm7 C7 F7M F7 Bb Bbm F7M

É como um vício e tem sabor que a fala presa não desfaz

 

Fala

 

Introdução: D

G G# D A/C# Bm

Eu não sei dizer nada por dizer, então eu escuto

D/C G G# D A/C# D/C G Gm

Se você disser tudo o que quiser, então eu escuto

D D/C G Bb D D A B/F#

Fala, Fala

G G# D A/C# Bm

Se eu não entender, não vou responder, então eu escuto

D/C G G# D A/C# D/G G Gm

Eu só vou falar na hora de falar, então eu escuto

D D/C G Bb D

Fala, Fala

[Repete]

Flores Astrais

 

Introdução: C G/B Bb F

C G/B

Um grito de estrelas vem do infinito

Bb F

E um bando de luz repete o grito

C G/B

Todas as cores e outras mais

Bb F C

Procriam flores astrais

G F C F C F C

O verme passeia na lua cheia

G C Bb F C

O verme passeia na lua cheia

[Repete]

Homem com H

 

Introdução: Em A7 D G C#m7(5b) F#7 Bm Em A7 D C#7 F#7 Bm

Bm Em

Nunca vi rastro de cobra Nem couro de lobisomem

Bm

Se correr o bicho pega Se ficar o bicho come

Bm/A Ab

Porque eu sou é home Porque eu sou é home

F#7 Bm

Menino eu sou é home Menino eu sou é home

A7 D F#7 Bm Em

Quando eu estava pra nascer De vez em quando eu ouvia

Bm Em Bm Em

Eu ouvia mãe dizer: "Ai meu Deus como eu queria

Bm Em Bm

que essa cabra fosse home" Cabra macho pra danar

Em A7 D G C#m7(5b)

Ah, Mamãe aqui estou eu, Mamãe aqui estou eu

F#7 Bm F#7

Sou homem com H, E como sou

[Repeete]

A7 D F#7 Bm Em

Eu sou homem com H E com H sou muito home

Bm Em Bm Em

Se você quer duvidar Olhe bem pelo meu nome

Bm Em Bm

Já tô quase namorando, Namorando pra casar

Em A7 D G C#m7(5b)

Ah, Maria diz que eu sou, Maria diz que eu sou

F#7 B

Sou homem com H, e como sou

 

Mal Necessário

 

Dm Dm/C Bm7(5b) Bb Dm

Sou um homem, sou um bicho, sou uma mulher

Dm/C Bm7(5b) Bb F

Sou as mesas e as cadeiras desse cabaré

C F C A7

Sou o seu amor profundo, sou o seu lugar no mundo

Dm Dm/C Bm7(5b) Bb Dm

Sou a febre que lhe queima mas você não deixa

Dm/C Bm7(5b) Bb F

Sou a sua voz que grita mas você não aceita

C F C A7

O ouvido que lhe escuta quando as vozes se ocultam

Dm Dm/C Bm7(5b) Bb Dm

Nos bares, nas camas, nos lares, na lama

Dm/C Bm7(5b) Bb F

Sou o novo, sou o errado, sou o que não tem tempo

Dm Dm/C Bm7(5b) Bb Dm

O que sempre esteve vivo, mas nem sempre atento

Dm/C Bm7(5b) Bb F

O que nunca lhe fez falta, o que lhe atormenta e mata

C F C A7

Sou o certo, sou o errado, sou o que divide

Dm Dm/C Bm7(5b) Bb Dm

O que não tem duas partes, na verdade existe

Dm/C Bm7(5b) Bb F

Oferece a outra face, mas não esquece o que lhe fazem

C F C A7

Nos bares, na lama, nos lares, na cama

Maria Escandalosa

 

Introdução: G D7

D7sus4 D7 D7sus4 D7 G

Maria Escandalosa desde criança sempre deu alteração

F G C

Na escola não dava bola só aprendia o que não era da lição

D/C Bm Em Am D7 Bm

Depois a Maria cresceu, juízo que é bom encolheu

E7 Am D7 Am D7 G

E a Maria Escandalosa, é muito prosa, é mentirosa, mas é gostosa

D7sus4 D7 D7sus4 D7 G

Maria Escandalosa desde criança sempre deu alteração

F G C

Na escola não dava bola só aprendia o que não era da lição

D/C Bm Em Am D7 Bm

Depois a Maria cresceu, juízo que é bom encolheu

E7 Am D7 Am D7 G

E a Maria Escandalosa, é muito prosa, é mentirosa, mas é gostosa

Am D/C Bm Bb7 Am Bbo G

Hoje ela não sabe nada de história e de geografia

Am D/C Bm Em A7 D7

Mas seu corpo de sereia dá aula de anatomia

G D7sus4 D7 D7sus4 D7 G

E a Maria Escandalosa, é muito prosa, é mentirosa, mas é gostosa

G D7

[SOLO]

D7sus4 D7 D7sus4 D7 G

Maria Escandalosa desde criança sempre deu alteração

F G C

Na escola não dava bola só aprendia o que não era da lição

D/C Bm Em Am D7 Bm

Depois a Maria cresceu, juízo que é bom encolheu

E7 Am D7 Am D7 G

E a Maria Escandalosa, é muito prosa, é mentirosa, mas é gostosa

D/C Bm Em Am D7 Bm

Depois a Maria cresceu, juízo que é bom encolheu

E7 Am D7 Am D7 G

E a Maria Escandalosa, é muito prosa, é mentirosa, mas é gostosa

Am D/C Bm Bb7 Am Bbo G

Hoje ela não sabe nada de história e de geografia

Am D/C Bm Em A7 D7

Mas seu corpo de sereia dá aula de anatomia

G D7sus4 D7 D7sus4 D7 G

E a Maria Escandalosa, é muito prosa, é mentirosa, mas é gostosa

D7sus4 D7 D7sus4 D7 G

Maria é muito prosa, é mentirosa, mas é gostosa

G D7sus4 D7 D7sus4 D7 G

E a Maria Escandalosa, é muito prosa, é mentirosa, mas é gostosa

Não existe pecado ao Sul do Equador

 

Introdução: Gm7 Ab F/A Ab7 Gm7 Bb/C

F Dm7 Gm

Não existe pecado do lado de baixo Do Equador

Gm7M Gm7 C7(9) F7M

Vamos fazer um pecado, rasgado, Suado a todo vapor

Cm7 F7

Me deixa ser teu escracho Capacho, teu cacho, diacho

Bb7M Bbm7 F/A

Um riacho de amor Quando é lição de esculacho

Ab7 Gm7 Bb/C F

Olha aí, sai de baixo Que eu sou professor

Gm7 C7 Am7

Deixa a tristeza pra lá, Vem comer, me jantar

Dm7 Gm7 C7 F Eb7(9) D7 G7

Sarapatel, caruru, tucupi, tacacá Vê se me usa, me abusa, lambuza

Am7 Gm7 F Gm7

Que a tua cafuza Não pode esperar, Deixa a tristeza pra lá

C7 Am7 Dm7 Gm7 C7 F

Vem comer, me jantar Sarapatel, caruru, tucupi, tacacá

Eb7(9) D7 G7 Am7

Vê se me usa, me abusa, lambuza Que a tua holandesa

Gm7 F Eb7M

Não pode esperar

 

Napoleão

 

Introdução: (G D7)

(G D7)

Napoleão com seus cem soldados

Napoleão com seus cem soldados

Napoleão com seus cem soldados

Napoleão viveu com seus cem soldados

Napoleão comeu com seus cem soldados

Napoleão dormiu com seus cem soldados

Napoleão brigou com seus cem soldados

Napoleão venceu com seus cem soldados

Napoleão morreu com seus cem soldados

Napoleão com seus cem soldados

Um morreu de frente o outro morreu de lado

Um morreu deitado e o outro morreu sorridente

Um era soldado o outro era presidente

Ah, um era meu avô o outro era filho meu

Um morreu decapitado e outro morreu soluçando

Um até morreu gritando, cada qual mais diferente

G D7 G

Ai, ai, ai, quedê, ai, ai, ai, quedê, quedê

D7 G

quedê, quedê, quedê, quedê, quedê, quedê

(G D7)

Mas quem é que sabe o nome desses cem soldados

Napoleão com seus cem soldados

Quem é que sabe o sobrenome desses cem soldados

Napoleão com seus cem soldados

Cem soldados sem velório, cem guerreiros sem história

Napoleão com seus cem soldados

Cem minutos sem memória, sem certo e sem errado

Napoleão com seus cem soldados

E quem sabe me dizer se eram cem soldados

Eu quero ver pra acreditar, eu quero ver, eu quero ver

G7(#9)

Napoleão com seus cem soldados, oh, yeah!

Poema

Introdução: C G Dm F

C G Dm F

Eu hoje tive um pesadelo e levantei atento, a tempo

C G

Eu acordei com medo e procurei no escuro

Dm F

Alguém com seu carinho e lembrei de um tempo

Am C

Porque o passado me traz uma lembrança

F C G

Do tempo que eu era criança e o medo era motivo de choro

F G

Desculpa para um abraço ou consolo

C G Dm F

[SOLO]

C G Dm

Hoje eu acordei com medo, mas não chorei

F C G Dm

Nem reclamei abrigo do escuro eu via um infinito sem presente

F C G Dm

Passado ou futuro, Senti um abraço forte, já não era medo

F

Era uma coisa sua que ficou em mim (que não tem fim)

F G Am D

De repente a gente vê que perdeu Ou está perdendo alguma coisa

F G Am

Morna e ingênua Que vai ficando no caminho

F G Am D

Que é escuro e frio, mas também bonito Porque é iluminado

F G C

pela beleza do que aconteceu Há minutos atrás.

 

 

Rondo do Capitão

Introdução: C G

C G C G

Bão, Balalão, Senhor Capitão

F G C G C G

Tirai este peso Do meu coração

C G C G

Não é de tristeza, Não é de aflição:

F G C G C G

É só de esperança, Senhor capitão!

C G C G

A leve esperança, a aérea esperança

F G C G C G

Aérea, pois não, Peso mais pesado

C G F G

Não existe não, Ah, livrai-me dele,

C G C

Senhor capitão

 

Rosa de Hiroshima

Introdução: D D7 G Gm A

G D G A

Pensem nas crianças Mudas telepáticas

G D

Pensem nas meninas, Cegas inexatas

C G/B Gm/Bb A

Pensem nas mulheres Rotas alteradas

G D G A

Pensem nas feridas Como rosas cálidas

G D G A

Mas, oh, não se esqueçam Da rosa da rosa

G D

Da rosa de Hiroshima, A rosa hereditária

C G/B Gm/Bb A

A rosa radioativa Estúpida e inválida

G D G A

A rosa com cirrose A anti-rosa atômica

G D

Sem cor sem perfume, Sem rosa sem nada

 

 

Sangue Latino

Introdução: D G

(D G)

Jurei mentiras e sigo sozinho, assumo os pecados

A7 G (D G)

Os ventos do norte não movem moinhos

(D G)

E o que me resta é só um gemido

(D G)

Minha vida, meus mortos, meus caminhos tortos,

(D G)

Meu sangue latino, minha alma cativa

A7 G (D G)

Rompi tratados, traí os ritos

(D G)

Quebrei a lança, lancei no espaço, Um grito, um desabafo

A7 G (D G)

E o que me importa é não estar vencido

(D G)

Minha vida, meus mortos, meus caminhos tortos,

G D G D/F# Em D

Meu sangue latino, minha alma cativa

 

Segredo

 

Introdução: A7(5+)

D7M C#7

Teu mal é comentar o passado

D B7 Em B7 Em

Ninguém precisa saber o que houve entre nós dois

G Gm D B7

O peixe é pro fundo das redes, segredo é pra quatro paredes

Em A7

Não deixe que males pequeninos

D B7

Venham transformar os nossos destinos

G Em D B7

O peixe é pro fundo das redes, Segredo é pra quatro paredes

Em A7 D

Primeiro é preciso julgar Pra depois condenar

A D

Quando o infortúnio nos bate à porta

D7 G

O amor nos foge pela janela

G# D B7

A felicidade para nós está morta

E7 A7

E não se pode viver sem ela

G G# D B7

Para o nosso mal não há remédio coração

Em A7(13) A7(5+) D7M G7

Ninguém tem culpa de nossa desunião

 

Tem Gente com Fome

 

Introdução: G G F7M G Am G F7M

(G F7M)

Vem sujo da Leopoldina correndo, correndo, parece dizer

Tem gente com fome, tem gente com fome

Tem gente com fome, tem gente com fome

Tem gente com fome, tem gente com fome

Tem gente com fome, Estação de Caxias

De novo a correr, de novo a dizer

Tem gente com fome, tem gente com fome

Tem gente com fome, tem gente com fome

Tem gente com fome, tem gente com fome

Tem gente com fome, tantas caras tristes

Querendo chegar em algum destino

Em algum lugar sai das estações qQuando vai parando começa a dizer

Se tem gente com fome, dá de comer, Se tem gente com fome, dá de comer

Se tem gente com fome, dá de comer, Se tem gente com fome, dá de comer

Mas o trem irá todo autoritário quando o trem parar

 

 

Último Drama

 

Introdução: A D E D

A D A

Hoje eu vi o homem voltando para casa

D A D E A D E D

Ele trazia o pão, o beijo e o bafo da cachaça

A D A

Hoje o vi o pai voltando para casa

D A D E A D E D

Ele trazia a raiva, o sono e o medo na carcaça

A D A

Hoje eu vi o macho voltado para casa

D A D E A D E D

Ele trazia o amor, o gozo e um grande cansaço

A E/G#

No bolso trocado, Na fé um amanhã dourado

Em/G F#7

Na boca um beijo saturado, na cama um cheiro suado

F7 E7sus4 E7

Na bala o último drama, No abraço a mulher, a chama

D E A D E D

E a tortura da cana

Viajante

Introdução: Am7 Am7M Am7 D7(9) F7M E7 Dm7 E7(9b)

Am Am7M

Eu me sinto tolo como um viajante

Am7 D7(9) F7M E7 Am7

Pela tua casa, pássaro sem asa, rei da covardia

E7 Am7 Am7M Am7

E se guardo tanto essas emoções nessa caldeira fria

F7M E7 A F#m

É que arde o medo onde o amor ardia

Bm C

Mansidão no peito trazendo o respeito

C#m F#7

Que eu queria tanto derrubar de vez

Bm E7 Am F7M E7

Pra ser teu talvez, pra ser teu talvez

Am Am7M

Mas o viajante é talvez covarde

Am7 D7(9) F7M F#m

Ou talvez seja tarde pra gritar que arde no maior ardor

Bm C C#m F#

A paixão contida, retraída e nua Correndo na sala ao te ver deitada

Bm E7 C#m F#7

Ao te ver calada, ao te ver cansada, ao te ver no ar

Bm C C#m F#7

Talvez esperando desse viajante Algo que ele espera também receber

Bm E7 A

E quebrar as cercas que insistimos tanto em nos defender

Am Am7M

Eu me sinto tolo como um viajante

Am7 D7(9) F7M E7 Am

Pela tua casa, pássaro sem asa, rei da covardia

E7 Am Am7M Am7

E se guardo tanto essas emoções nessa caldeira fria

F7M E7 A F#m

É que arde o medo onde o amor ardia

Bm C

Mansidão no peito trazendo o respeito

C#m F#7

Que eu queria tanto derrubar de vez

Bm E7 C#m

Pra ser teu talvez, pra ser teu talvez

Bm E7 Am

Pra ser teu talvez, pra ser teu talvez