Oswaldo Montenegro
Asa de Luz
Tom: E                                     
   E...........B........C#m.....E
   Cada luz com sua sombra
   A..........E.........B....B7
   Cada porto com seu mar
   E............E7........A.........Am
   Cada riso com seu medo, ou não
   E.........F#.......B......B7
   Cada cego com seu olhar
   E.............B...........C#m.......E
   Cada mão com sua ausência e ar
   A............E....B.........B77
   Cada muro com seu vão
   E................E7........A......Am
   Cada amor com sua ânsia e dar
   E............B...........A.........C
   Cada dois com a solidão
   ...F.........C........Dm.....F
   Cada luz com sua sombra
   A#..........F.....C......C7
   Cada porto com seu mar
   F............F7.......A#.........A#m
   Cada riso com seu medo, ou não
   F.......  G......C.......D#
   Cada cego com seu olhar
   G#.............D#.........Fm........G#
   Cada mão com sua ausência e ar
   C#.........G#........D#.......D#77
   Cada muro com seu vão
   G#...............G#7.......C#........C#m
   Cada amor com sua ânsia e dar
   G#..........D#......C#......C#m.....G#
   Cada dois com a solidão


Entre uma balada e um blues

Tom: G
     G...................Bm..................C
     Quando os bichos dançam com as fadas
     C...................C/D......D..G
     Entre uma balada e um blues
     G..................Bm............C...........C/D.....D...C
     A paixão cai da madrugada lá do céu escorrem azuis
     C.................C#dim......C/D
     Pingam luas, gotas aladas
     C/D............D........G
     Entre uma balada e um blues
     G.................Bm..................C.............C/D.....D...G
     No repouso das cavalgadas quando a noite abranda essa luz
     G.................Bm............C................C/D.....D....C
     O calor das mãos apertadas reconforta a mão que conduz 
     C...................C#dim........C/D
     Um amor dos contos de fadas
     C/D............D............G
     Entre uma balada e um blues
     A....................C#m..............D
     Quando os bichos dançam com as fadas
     D...................D/E............E.......A
     Entre uma balada e um blues
     A...............C#m.......  ..D.................D/E.........E......D
     A paixão cai da madrugada lá do céu escorrem azuis
     D...................D#dim........D/E
     Pingam luas, gotas aladas
     D/E................E.........A
     Entre uma balada e um blues
     A.................C#m..................D..............D/E........E...A
     No repouso das cavalgadas quando a noite abranda essa luz
     A................C#m..................D..............D/E......E......D
     O calor das mãos apertadas reconforta a mão que conduz 
     D...................D#dim........D/E
     Um amor dos contos de fadas
     D/E................E...........A
     Entre uma balada e um blues


Fruta orvalhada
Tom: G
Intro: G...............A#/D.............C9................G
      F9...............C.................D................C/D
     G...............G7.................C........Am
     Eh morena, tá faltando esta areia molhada
     Am................D................C/D......G
     E o cheiro de sal madrugando na boca da gente
     G.......C/D....................G.......G7
     E o sono da rede embalando teu corpo
     G7..................C........Am
     E a roseira fazendo das suas
     Am.............D.............C/D..........G......C/D
     Nascendo uma rosa na lua e o luar no jardim
     G..........G7...............C........  ..Am
     Abacaxi, tá faltando, e limão, tangerina
     Am........D................C/D.......    ..G
     No gosto da boca e a rima fluindo da noite
     G.......C/D...............G
     E o cabelo cheirando a jasmim
     G..........G7............C........Am
     De manhã, manga rosa parece molhada
     Am.............D............C/D.................G..........C/D
     Teu corpo é fruta orvalhada que a terra preparou pra mim


 Criaturas da noite
 Tom: F                                                                                                                        
          (6/8)
               F.............................A#........   ..F
               Eu tenho medo de ver, as criaturas da noite
               F
               Estátuas sem rosto me olhando eu já vi
                         A#.................... F
                         As criaturas da noite
               C7....................A#....................F
               O noturno véu, porcelana lua de luz violeta
          C7.................................A#................F
          Brilho de néon no céu, porcelana lua de luz violeta
                         A#.............     ..F
                         As criaturas da noite


Lua e flor
Tom: D
Intro :
D A/C# G/B C G D D5+ Bm Bm/A E/Ab G F#m Em A7/11 A7
D A/C#
Eu amava como amava algum cantor
G C G D D5+
De qualquer clichê de cabaré de lua e flor
Bm Bm/A A7/11
Eu sonhava como a feia da vitrine
A7 D A7 [50-22] [52-23] [54-25]
Como carta que se assine em vão
D A/C#
Eu amava como amava um sonhador
G C G D F#7
Sem saber porque que amava ter no coração
Bm Bm/A A7/11 A7
A certeza ventilada de poesia
D A7 [50-22] [52-23] [54-25]
De que o dia não amanhece não
D Am7 D7
Eu amava como amava um pescador
G Gm
Que se encanta mais com a rede que com o mar
D Bm Em A7
Eu amava como jamais poderia se soubesse
G
Como te contar


Intuição
Tom: C
C                     F               G            C
Canta uma canção bonita falando da vida em ré maior
Bb                      F           C                    G
Canta uma canção daquela de filosofia, é mundo bem melhor
C                        E                       Am                  Eb
Canta uma canção que agüente essa paulada e a gente bate o pé no chão
G                       C              G
Canta uma canção daquela, pula da janela, bate o pé no chão
C                        E               Am                Eb
Sem o compromisso estreito de falar perfeito, coerente ou não
G                 C                    G                   C
Sem o verso estilizado, o verso emocionado, bate o pé no chão
C                     F                G         C
Canta o que não silencia, é onde principia a intuição
  Bb                    F                 C                 G
E nasce uma canção rimada da voz arrancada o nosso coração
C                    E                    Am                 Eb
Como sem licença, o sol rompe a barra da noite sem pedir perdão
G                    C               G                 C
Hoje quem não cantaria, grita a poesia e bate o pé no chão
A                        D                A                   D
Sem o compromisso estreito de falar perfeito, bate o pé no chão
Sem o verso estilizado, o verso emocionado, bate o pé no chão
E                     A               B            E
Canta uma canção bonita falando da vida em ré maior
D                      A            E                    B
Canta uma canção daquela de filosofia, é mundo bem melhor
E                        G#                      C#m                 G
Canta uma canção que agüente essa paulada e a gente bate o pé no chão
  B                    E              B                  A     E
E hoje quem não cantaria, grita a poesia e bate o pé no chão


O Condor
Tom: G
Intro: G
G                      C                 G
Quando voa o condor, com o céu por detrás
                      C                 D
Traz na asa o sonho, com o céu por detrás
G                 G7      C                 A
Voa condor, voa condor, que a gente voa atrás
G      D/F#    C     A7                G
Voa atrás do sonho com o céu por detrás
G         C                G    C     A                  D
Ah!, que vôo do condor no sol trace a linha da nossa paixão
    G                   F               Am7                D
Eu quero que seja mostrada no meio da rua e rolando no chão
G           C                   G    C       A7                D
Ah!, que a gente despedace em luz, ah, que Deus seja o que quiser
G                      F               C                  D7
Explode a cabeça com olho de bicho e com coração de mulher
REFRÃO
        C                     G   C      A               D
Ah!, se fosse como a gente quer, ah, e se o planeta explodir
    G                  F                  C                       D7
Eu quero que seja em plena manhã de domingo que eu possa assistir
A          F#m                   Bm7      G                  E
Ah!, que a miserável condição da raça humana procurando o céu
   A                 G                  D                     E
Levanta a cabeça e ao levantar por encanto escorregue seu véu
A                      D                 A
Quando voa o condor, com o céu por detrás
                       D                E
Traz na asa o sonho, com o céu por detrás
A                              D             A
Voa condor, voa condor, que a gente voa atrás
A      E/G#    D      B                A
Voa atrás do sonho com o céu por detrás


Bandolins
Tom: Am
Intro: Gm  Gm/F  Em5-/7  Cm/Eb  C  G/B  E7
Am              Am/G               F#m7/5-
Como fosse um par que nessa valsa triste
           Dm/F                     Am
Se desenvolvesse ao som dos bandolins
        Am/G                Dm
E como não, e por que não dizer
                         G                      C
Que o mundo respirava mais se ela apertava assim
    C7M   Em     Bm     E7        F
Seu colo e como se não fosse um tempo
          Dm       E7                  Am
Em que já fosse impróprio se dançar assim
       Am/G             F#m7/5-
Ela teimou e enfrentou o mundo
        Dm/F               Am        Am/G     F#m7/5-    Dm/F
Se rodopiando ao som dos bandolins
Am             Am/G                 F#m7/5-
Como fosse um lar, seu corpo a valsa triste iluminava
    Dm/F               Am
E a noite caminhava assim
           Am/G                   Dm
E como um par, o vento e a madrugada iluminavam
   G                  C
A fada do meu botequim
   C7M   Em     Bm     E7   F
Valsando como valsa uma criança
    Dm       E7                 Am
Que entra na roda a noite tá no fim
      Am/G              F#m7/5-
Ela valsando só na madrugada
              Dm/F             Am         Am/G   F#m7/5-  Dm/F   ( D )
Se julgando amada ao som dos bandolins


Léo e Bia
Tom: C
Intro: Gm7
   C (D)            G7 (A7)    Am (Bm)   C (D) 
No centro de um planalto   vazio
   F (G)            C (D)      G7 (A7)
Como se fosse em qualquer lugar
   F (G)        G7 (A7)       C (D)
Como se a vida fosse um perigo
   Dm (Em)        Bb (C)     G7 (A7)
Como se houvesse faca no ar
   C (D)          G7 (A7)    Am (Bm)    C (D) 
Como se fosse urgente e preciso
     F (G)      C (D)     G7 (A7)
Como é preciso desabafar
     F (G)          G7 (A7)    C (D)
Qualquer maneira de amar varia
  Bb (C)    F (G)         C (D)
E Léo e Bia souberam amar
C (E)        G7 (B7)    Am (C#m)   C (E) 
Como se não fosse tão longe
   F (A)      C (E)      G7 (B7)
Brasília de Belém do Pará
    F (A)      G7 (B7)       C (E)
Como castelos nascem dos sonhos
   Dm (F#m)   Bb (D)      C (E)
Prá no real  achar seu lugar
   C (E)        G7 (B7)    Am (C#m)   C (E) 
Como se faz com todo   cuidado
  F (A)       C (E)     G7 (B7)
A pipa que precisa   voar
   F (A)        G7 (B7)        C (E)
Cuidar de amor exige    mestria
  Bb (D)    F (A)         C (E)
E Léo e Bia souberam amar


Agonia
Tom: C
Intro: C  G/B  Gm/Bb  A7  Dm  Bb  G7
G7             C           C/E
Se fosse resolver iria te dizer
Eb          Dm
Foi minha agonia
                      G7                           G#
Se eu tentasse entender, por mais que eu me esforçasse
G7          C
Eu não conseguiria
Dm    G7       C            Gm
E aqui no coração eu sei que vou morrer
C7          F7M
Um pouco a cada dia
F#              C   C/E  Eb         Dm
E sem que se perceba  a   gente se encontra
G7                C
Prá uma outra folia
                    C (D)                   C/E (D/F#)
Eu vou pensar que é festa, vou dançar, cantar
Eb (F)    Dm (Em)
É  minha   garantia
           G7 (A7)            G# (A#)  G7 (A7)           C (D)
E vou contagiar diversos corações      com minha euforia
Dm (Em)    G7 (A7)    C (D)                 Gm (Am)
E a   amargura e o  tempo vão deixar meu corpo
       C7 (D7)     F7M (G7M)
Minha alma     vazia
F# (G#)        C (D)   C/E (D/F#)   Eb (F)   Dm (Em)
E sem que se perceba   a        gente se encontra
G7 (A7)           C (D)
Prá uma outra folia
1 vez: INTRODUÇÃO
2 vez: E  F#


Aquela coisa toda
Tom: C
Intro: C  F  ( Am  Em  )  ( Am  Em   F  C  G  F  G )
       D  G  ( Bm  F#m )  ( Bm  F#m  G  D  A  G  A )
C     F             G     F
Olhe bem nos meus olhos
C     F          G
Olhe bem prá você
   F                     G                   F    C
O fato é que a gente perdeu toda aquela magia
   F                     G                        F    C
A porta dos meus quinze anos não tem mais segredos
   F                G7                C    ( Am  Em  F  C  G  F  G )
E velha, tão velha ficou nossa fotografia
C     F             G     F
Olhe bem nos meus olhos
C     F          G
Olhe bem prá você
 F                     G                   F    C
A quem é que a gente engana com a nossa loucura
F                     G                        F    C
De certo que a gente perdeu a noção do limite
 F                G7                C    ( Am  Em  F  C  G  F  G )
E atrás tem alguém que virá, que virá, que virá, que virá, que virá
2 VEZ: sobe um tom


Incompatibilidade
Tom: D
        D
E bate louco, bate criminosamente
                          G                              D
O coração mais do que a mente, bate o pé mais do que o corpo poderia
        D
E se você mentalizasse na folia
                  G                        D
Sabe lá se não seria a solução prá de manhã pensar melhor
        A                    G                         D
E caso fosse a incompatibilidade entre o corpo e consciência
     A        D
Iria desaparecer, você não vê
         A                     G
Como o corpo preparado pode ser iluminado
         D              A           D
Como a luz de uma fogueira que precisa se manter
       D
E atingido pela plena consciência
                        G                     D
De que o corpo em decadência faz a tua consciência esmorecer
       D
Pelos poros elimina-se o que o povo não precisa
          G                    D
E não precisa prá pensar, abdicar desse prazer
       A                       G                  D
Se você dançar a noite inteira não significa dar bobeira
         A        D
De manhã se alienar ou esquecer
     A                    G                         D
É a busca do supremo equilíbrio, num processo inteligente
                A             D
Sua mente clarear sem perceber


A bailarina gorda
Tom: C
C     Em    F    C    D     Am    D       G          C
Como toda bailarina ela sonhava com mil saltos mortais
   C/E     E    Am      D7   Am     D7        G
Os dedos do destino a desenharam gorda demais
C     Em    F    C    D     Am    D       G          C
Cada volta ou pirueta era um desastre, eram risadas gerais
C/E     E    Am      D7   Am     D7        G
E os olhos do menino que ela amava a amavam magra de mais
C     Em    F    C    D     Am    D       G          C
Cada bola de sorvete é tanta culpa, era remorso demais
C/E     E    Am      D7   Am     D7        G
E o mais lindo vestido tá guardado: gorda demais
C     Em    F    C    D     Am    D       G          C
Cada abraço, um arrepio, ai, por um fio ele me apalpa por trás
C/E     E    Am      D7   Am     D7        G
E sente a carne mole, frouxa, coxa, gorda demais
C     Em    F    C    D     Am    D       G          C
Como toda bailarina ela sonhava com mil saltos mortais
C/E     E    Am      D7   Am     D7        G
Os dedos do destino a desenharam 


Prá longe do Paranoá
Tom: D
D             A                            Bm7
Numa tarde quente eu fui me embora de Brasília
            G                   D
Num submarino do lago Paranoá
              G                  F                 G                    D
Quero ser estrela lá no Rio de Janeiro namorando Madalena na beira do mar
D             A                            Bm7
Qualquer dia, mãe, você vai ter uma surpresa
G                   D
Vendo na TV meu peito quase arrebentar
G                  F                 G                    D
Quero ser estrela lá no Rio de Janeiro namorando Madalena na beira do mar
D             A                            Bm7
Quem quiser que faça o velho jogo da política
G                   D
Na sifilítica maneira de pensar
G                  F                 G                    D
Quero ser estrela lá no Rio de Janeiro namorando Madalena na beira do mar
D             A                            Bm7
Eu tenho o coração vermelho
G                   D
E o que eu canto é o espelho do que se passa por lá
G             F              G                    D
Quero ser estrela namorando Madalena na beira do mar


Aos filhos de câncer
Tom: A
Intro: A  F#m  F#m/E  D  E7  A  E7
A                                F#m
Caranguejo, signo da última estação do segundo lugar
   F#m/E                    D
Do primeiro desejo que não há
                    E7                 A     E7
Como dissimulando se esconder no porão
A                                F#m
Caranguejo da canceriana, solidão de horizontalizar
F#m/E                    D
No canteiro de beijos que não dá
 E7               A                 A7
Como dissimulando se esconder no porão do ser
D                         C#7                  F#m
Caranguejo cada vez que a gente se encontrar no cio
              A                     D            E7                  A    A7
Pode ser que não, mas eu quase adivinho que no coração alguém vai batucar
D                        C#7                   F#m
Caranguejo é o signo de quem só me chama de filho
                A                D              E7                 A
E do meu coração, e do Gilberto Gil, Caetano é leão e sempre vai reinar
     E7
Pois é
A                               F#m
Caranguejo, símbolo da réplica fusão do que não caberá
    F#m/E                     D
Mas no primeiro ensejo brilhará como volatizando
E7             A      E7
Se acender um balão
     A7
Pro céu


Aos filhos de gêmeos
Tom: A
Intro: A  E/G#  Em/G  D/F#  Dm/F  A  F#m  B7  Bm  E7  A
A        E/G#      Em/G              D/F#
Curioso, dispersivo, você sempre tem algo a dizer
Dm/F         A      F#m    B7          Bm      E7    A
Signo dos opostos, signo dos vizinhos gêmeos, há de ser
         E/G#      Em/G              D/F#
Cada planeta, cada riso em cada esquina que houver
Dm/F          A   F#m   B7            Bm           A
Cada extremo reunido,  cada homem gêmeo da mulher
A               E/G#     Em/G         D/F#
Gêmeos como a luz do dia é vizinha do anoitecer
Dm/F              A     F#m    B7          Bm  E7      A
Gêmeos chuva e, quem diria, o sol que brilhará, dor e prazer
        E/G#       Em/G              D/F#
Cada planeta, cada riso em cada esquina que houver
Dm/F          A   F#m   B7            Bm           A
Cada extremo reunido,  cada homem gêmeo da mulher


Aos filhos de áries
Tom: Am
Am    A7         Dm           B         Am
Áries, o primeiro signo, do carneiro apaixonado
       Am/G          F7M       E4  E7       Am
Tem em Marte seu designo e no fogo seu reinado
       Bb         Dm          B       Am
Nas estrelas seu delírio, seu amor enciumado
      Am/G         F7M            E4   E7  Am
Nos limites, seu martírio, seu mistério revelado
      A7            Dm           B         Am
Louco signo das correntes e emoções arrebatadas
  Am/G        F7M            E4   E7       Am
Ariana dos repentes e explosões descontroladas
   Bb         Dm          B        Am
Ariana, como o fogo, nunca será dominada
   Am/G        F7M            E4  E7    A
Decisiva como o jogo, e a primeira namorada
      A7         D           C#7         F#m
Signo da sinceridade, da vermelha cor do dia
     F#m/E      D             E7             A
Signo da velocidade, da impulsão e eu nem sabia
        C#7         F#m            B7          E7
Que era tanta madrugada a derramar no coração
       C#7       F#m             C               F#m
Como a rosa serenada se transforma e pinga ao chão
      Bm          C#7     D    F#m
Derretendo ao fogo da paixão


Ao nosso filho Morena
Tom: A
Intro: A4  A4  E  F#m  -  D  Eb    A  B7  D  A
A           E                      F#m
Se hoje tua mão não tem manga ou goiaba
             A                D
Se a nossa pelada se foi com o dia
          Eb                    A
Te peço desculpas, me abraça meu filho
            B7 D   A
Perdoa essa melancolia
A           E                  F#m
Se hoje você não estranha a crueza
A                D
dos lagos sem peixe da rua vazia
Eb                    A
Te olho sem jeito, me abraça meu filho
B7 D   A
Não sei se eu tentei tanto quanto eu podia
A           E                      F#m
Se hoje teus olhos vislumbram com medo
A                D
Você já não vê e eu juro que havia
Eb                    A
Te afago o cabelo, me abraça meu filho
B7 D   A
Perdoa essa minha agonia
A           E                 F#m
Se deixo você no absurdo planeta
A                D
Sem pique-bandeira e pelada vadia
Eb                    A
Fujo do teu olho, me abraça meu filho
B7 D   A
Não sei se eu tentei, mas você merecia